Image //softwaredecalibracao.com.br/app/uploads/2018/01/calendar-200928_960_720.jpg

[eBook] Como definir periodicidade de calibrações utilizando o Método Schumacher

Autor: Categoria: Indústria 1 comentário

Imprimir artigo
Calibrar um instrumento é conferir se suas medidas estão dentro de um limite aceitável para que ele continue sendo utilizado no seu processo de fabricação. É muito importante que a calibração ocorra periodicamente, e esse período precisa ser estabelecido de forma precisa, evitando problemas na fabricação devido a instrumentos não calibrados e com medições incorretas, e também evita gastos desnecessários para sua indústria com calibrações em excesso.

Resolvi escrever esse post para falar um pouco sobre a importância de calibrar os instrumentos na hora certa e também aproveito para divulgar um eBook muito bacana sobre a definição de periodicidade a partir do Método Schumacher.

Calibração NÃO é correção

Dentro das fábricas e indústrias circulam diversos instrumentos para medir os materiais utilizados, do início ao fim do processo de fabricação. Esses instrumentos têm medidas precisas, garantindo a qualidade do produto final. E o que garante a conformidade dos instrumentos são as calibrações, que precisam ser realizadas periodicamente.

A calibração, em geral, compara as medidas do instrumento com um padrão e assim determina qual o erro apresentado por aquele instrumento. Depois de calibrar, é emitido um certificado que terá todos os dados coletados durante a calibração e os resultados, ou seja, erros e incertezas.

Então, se eu calibrar meu instrumento, ele vai voltar novinho em folha? Não, a calibração não altera o resultado do instrumento. Cabe ao responsável verificar se os resultados da calibração estão dentro dos limites aceitáveis para aquele instrumento, pois a calibração ajudará a identificar se o instrumento está medindo corretamente ou não, mas não irá ajustá-lo. Se o instrumento tiver apresentando resultados fora dos limites, precisará ser enviado para manutenção ou ser substituído.

De quanto em quanto tempo preciso calibrar os instrumentos?

Chamamos de periodicidade de calibração o prazo entre uma calibração e outra, e essa periodicidade deve ser definida pela indústria, levando em consideração a forma como o instrumento é utilizado, o ambiente em que são feitas as medições, como foi feita a última calibração, qual o padrão usado, e por aí vai.

O Método Schumacher é um dos métodos de analisar se os intervalos de calibração adotados para um instrumento estão adequados. Esse método consiste em três passos bem simples:

  1. Definir uma periodicidade de calibração, que em geral é a indicada pelo fabricante;
  2. Escolher um ciclo de calibrações, que é a quantidade a ser analisada (em geral 3 ou 4 calibrações);
  3. Comparar e analisar os resultados das calibrações.

Dependendo dos resultados obtidos no ciclo, você saberá se pode aumentar, diminuir ou manter a periodicidade. Se o instrumento estiver conforme em todas as calibrações você poderá aumentar o intervalo, pois o instrumento mostrou estabilidade em suas medições; já se o instrumento mostrar instabilidade a longo do ciclo você precisa manter essa periodicidade para acompanhar mais de perto, e assim por diante.

[eBook] Definindo os intervalos de calibração com o Método Schumacher

O Fábio escreveu um eBook completo sobre o Método Schumacher, que explica detalhadamente como funciona essa técnica de definição de periodicidade de calibrações, mostrando exemplos, uma tabela de comparação dos resultados e explicando de forma bem simples o funcionamento. Para baixar, clique no botão abaixo.