Image //softwaredecalibracao.com.br/app/uploads/2019/08/erro-maximo-permissivel.jpg

Erro máximo permissível: um requisito de medição fundamental para seu processo

Autor: Categoria: Instrumentos de medição
Postado em:

Imprimir artigo
Antes de falar do erro máximo permissível, precisamos relembrar que a qualidade de produtos e processos está relacionada com atender requisitos pré-definidos. E esses requisitos devem refletir a percepção de valor do cliente.

A cremosidade de um alimento, a cor, o sabor, podem ser exemplos de valores percebidos pelos consumidores. Mas como transformamos sabor, cremosidade ou percepção de valor em requisitos? Essa é uma das mais difíceis tarefas de uma empresa. Compreender o valor percebido pelo cliente e transformar isso em requisitos de processos e produtos é uma atividade multidisciplinar e deve envolver toda a empresa.

Para nós da metrologia, sabor quer dizer proporções corretas na formulação do produto. Cremosidade significa temperatura controlada e viscosidade conhecida, ou seja, a percepção de valor vira requisito de processo ou produto, também conhecidos como “Tolerância”.

A tolerância está presente em qualquer processo industrial, na fabricação de produtos, prestação de serviços e comércios. São inúmeros os requisitos que podem ser atribuídos a um processo/produto, como por exemplo:

  • a viscosidade de uma substância;
  • a acidez de um líquido;
  • a temperatura de um processo de tratamento térmico;
  • as dimensões de uma peça;
  • na área da saúde, por exemplo, temos o armazenamento de vacinas a temperatura controlada de (2 a 8) °C.
  • e assim por diante.

O que é um requisito de medição?

Ao definirmos um intervalo de tolerância para um processo ou produto, estamos condicionando um requisito de medição ou um requisito metrológico. A definição do requisito de medição é fundamental para garantir a confiabilidade dos resultados das medições utilizadas no controle de qualidade de processos e produtos.

O processo de medição que será utilizado para controlar a característica de um processo ou produto também tem seus requisitos. Precisão, resolução, faixa de medição, erro máximo permissível, habilidade do operador, condições ambientais, etc.

De uma forma simplificada, os requisitos metrológicos podem ser entendidos como a “tolerância” dos equipamentos de medição e processos de medição. A norma ABNT NBR ISO 10012 (Sistema de gestão de medição: Requisitos para os processos de medição e equipamentos de medição) estabelece que os requisitos metrológicos devem ser derivados dos requisitos de processos e produtos, sendo necessários para os equipamentos de medição e para o processo de medição.

Tolerância x precisão da medição

Um dos principais requisitos metrológicos é a precisão. A precisão de um equipamento de medição é uma informação fundamental para avaliar a adequação ao uso pretendido. Por exemplo, em um processo qualquer queremos uma temperatura na faixa (7 a 9) ºC, ou seja, uma tolerância de 2ºC.

Um termômetro com uma precisão de ±3 ºC não fornece confiança em seu resultado para controlar um processo com uma tolerância de 2ºC. Nenhum resultado mensurado nesse processo deve ser utilizado para tomada de decisão ou controle de processo.

Uma boa recomendação para a definição da precisão necessária é apresentada no documento JCGM 106: 2012 – Evaluation of measurement data: the role of measurement uncertainty in conformity assessment. Nesse documento, temos apresentada a relação TAR (test accuracy ratio) entre a tolerância e a precisão do equipamento de medição. O TAR recomendado é 10:1, ou seja, para uma tolerância de 2ºC a precisão recomendada é de 0,2ºC.

Definindo um erro máximo permissível

Com um equipamento de medição adequado e com sua precisão determinada de forma correta, podemos definir o erro máximo permissível. Essa informação é utilizada para avaliar os resultados das calibrações realizadas no equipamento e evidenciar a adequação (ou não adequação) ao uso pretendido.

Para definir o erro máximo permissível podemos considerar 3 aspectos diferentes:

  • Especificações de fabricantes apresentam valores definidos de erros, precisão, linearidade, entre outros. Esses valores podem ser utilizados para a definição de um erro máximo permissível. Esse caso é muito comum em processos de medição que não tem uma tolerância definida;
  • Normas e regulamentos técnicos apresentam critérios metrológicos muito bem definidos que podem ser utilizados como erro máximo permissível para os equipamentos. Um exemplo são as balanças que no Brasil devem atender aos critérios da Portaria 236/94 do INMETRO.
  • Em acordo com o requisito de processo/produto (Tolerância). Uma razão da tolerância pode ser definida como erro máximo permissível para a calibração do equipamento. Geralmente é utilizado a relação de 1/3, mas relação de 1/4, 1/5, 1/10 ou maiores também podem ser utilizadas.

Conclusão

A busca pela melhoria contínua de produtos e processos está diretamente ligada com a conformidade dos resultados das medições. Resultados de medições válidos e confiáveis permitem reduzir custos, melhorar produtos e processos, e fornecer informações confiáveis para o entendimento do desempenho e capacidade de processos.

A definição de requisitos metrológicos como erro máximo permissível, precisão, resolução, entre outros é uma etapa fundamental para minimizar os riscos relacionados ao erro da medição e seu impacto no controle de qualidade. A escolha de equipamentos de medição e processos de medição sem uma definição adequada desses requisitos é um problema muito sério e traz um grande impacto aos resultados de qualquer empresa.

Dessa forma, podemos concluir que a falta de evidências objetivas do atendimento aos requisitos metrológicos gera uma grande desconfiança nos resultados das medições, aumentando desperdícios, retrabalhos e problemas comuns com medições de baixa qualidade. A metrologia e a qualidade têm um papel fundamental no entendimento dos requisitos do cliente e na definição dos requisitos metrológicos.

Referencial teórico

[1] Albertazzi Jr, A. G. Fundamentos de metrologia cientifica e industrial. 2º Ed. 2018.

[2] UNIDO. Role of measurement and calibration in the manufacture products for the global market.

[3] JCGM 106: 2012 – Evaluation of measurement data: the role of measurement uncertainty in conformity assessment;

[4] ABNT ISO10012 – Sistema de gestão da medição: Requisitos para os processos de medição e equipamentos de medição.

[5] VIM – Vocabulário internacional de metrologia 2012.