Image //softwaredecalibracao.com.br/app/uploads/2019/10/gestao-de-riscos-para-laboratorios-de-metrologia.jpg

Conceitos básicos da Gestão de Riscos para laboratórios de metrologia

Autor: Categoria: Laboratório
Postado em:

Imprimir artigo
Um assunto muito polêmico, e que tem afetado muitos profissionais é a Gestão de Riscos para laboratórios de metrologia. Isso ocorre devido à última atualização da ISO 17025, em 2017, em que a norma trouxe a mentalidade de riscos para os processos dos laboratórios.

Então, achei legal escrever esse artigo para falar sobre alguns conceitos que todo profissional de metrologia deve saber acerca da gestão de riscos. 

O que é um Risco?

Um risco é tudo aquilo que é incerto e que pode, de alguma maneira, afetar seu laboratório. Esse acontecimento tanto pode ser algo bom ou algo ruim.

E chamamos de oportunidades todos os fatores que podem acontecer e que venham a contribuir com sua empresa, que tragam resultados positivos (quando o risco é bom). Um exemplo seria a necessidade de uma nova certificação, em que você tem a chance de melhorar os seus processos e conquistar novos mercados.

Já as ameaças (quando o risco é algo ruim) são os fatores que podem vir a prejudicar sua empresa, trazer resultados negativos, como por exemplo um novo concorrente na sua cidade.

Risco x Perigo

Uma confusão comum sobre esse assunto são os riscos e perigos. Mas existe uma diferença clara entre eles.

O perigo é uma situação que vai ocorrer, a qual posso ou não estar exposto. Já o risco é quando me exponho a essa situação. Assim, o risco tem a ver com a probabilidade desse perigo acontecer.

Por exemplo, observar uma tempestade sabendo que você tem um gerador caso falte energia, é um perigo. Agora, se você não possui equipamentos para repor a eletricidade em caso de falta, você está exposto ao risco de ficar sem energia.

Resumindo, o perigo é o efeito e o risco é a chance de você sofrer ou não esse efeito!

Objetivo da Gestão de Riscos para laboratórios de metrologia

Como um todo, a gestão de riscos tem 2 objetivos: a) controlar e mitigar o efeito das ameaças, de forma que não prejudique as atividades de laboratório, e; b) potencializar as oportunidades gerando melhoria (e resultados melhores) para os processos da sua empresa.

Digamos que você identifica um risco que se refere à temperatura do ambiente de calibração. Temperaturas oscilantes podem interromper o processo de calibração pela metade, o que gera desperdício do tempo do técnico. Se você tratar esse risco investindo em um ar condicionado melhor, por exemplo, você vai estar antecipando a situação e diminuindo desperdício.

Por isso é importante estudar todos os riscos existentes nas atividades de laboratório e traçar a melhor estratégia para trabalhar esses riscos.

Quer começar com o pé direito na abordagem de riscos do seu laboratório?

A Academia da Excelência lançou um curso sobre esse assunto, inclusive, foi desse curso que tirei alguns conceitos para trazer aqui neste artigo. Vamos supor que você tem um risco no seu processo de calibração e outro no processo comercial. Qual deles a 17025:2017 exige que você trate? Será que os dois? Ficou em dúvida? O curso do Neville explica isso e mais alguns conceitos fundamentais para fazer a gestão de risco do seu laboratório!

O curso é bem didático e traz uma introdução sobre Gestão de Riscos para laboratórios de metrologia. Fala sobre os princípios para abordagem de riscos de acordo com a ISO 31000 – Gestão de Riscos e faz um link com a ISO 17025, que é o nosso foco. Eu assisti e super recomendo!